logo


A peça Números de circo – um espetáculo para crianças, que estreou em abril de 2011, nasceu de uma adaptação da obra Números (2007), primeiro trabalho do grupo Os Geraldos, que coleciona prêmios dos mais renomados festivais de teatro do país, como os de Melhor Espetáculo, Melhor Conjunto de Atores e Melhor Figurino no 24º Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau (FITUB), em 2011.

Com a circulação dessa versão adulta, o retorno do público evidenciou uma forte potência do espetáculo: a comunicação com o público infantil, a partir da linguagem lúdica e de uma temática que resgata a memória circense, cuja magia – dada a escassez de lonas e a precariedade material em que se encontram os artistas – está distante da infância contemporânea. Com adaptações que consideraram tal percepção, surgiu a obra Números de circo – um espetáculo para crianças.

Capa - edital e release

  • Fotos

    Você encontrará fotos em alta resolução para download na nossa Sala de Imprensa

  • Sinopse

    Um grupo de artistas mambembes que se multiplica em diversas funções para apresentar números inspirados na tradição circense. Quando as crianças se deparam com o ambiente intimista do espetáculo, em que cortinas vermelhas fazem do palco um picadeiro, deixam-se imergir em um mundo de sonhos e são transportadas para o mundo fantástico do circo.

    Indicação: 7 anos

    Duração: 50 minutos

    Classificação: Livre

  • Encenação

    A versão adulta da qual partiu a criação do espetáculo Números para crianças traduzia, em 2007, a situação daquele grupo que começava a se formar: artistas mambembes apresentam uma série de números, explorando, como material para a cena, suas virtudes artísticas e também suas dificuldades e angústias. Dessa maneira, Números nasce como um testemunho (e uma reflexão) sobre nossos anos de aprendizagem na arte teatral e sobre inquietações e projetos artísticos. Com as lonas de circo desse Brasil afora, temos em comum a precariedade material, nomadismo, amor incondicional ao ofício e ao público… Disso, resulta a encenação: uma orquestração dos vários números criados pelos atores para seus personagens/tipos.

    Um espetáculo que perpassa universos distintos: a fantasia, por meio de figuras como a do personagem Tomaz – uma mistura de lhama, carneiro e homem –; o medo, a partir da realização do número das facas; o espanto, pela apresentação da contorcionista chinesa… de forma a provocar, nas crianças, sensações demasiadamente humanas – como espanto, riso, compaixão e medo – que, por serem levadas à cena de forma lúdica, acometem os pequeninos ao mesmo tempo em que preservam sua ingenuidade, já que não estão desvinculadas do universo infantil, mas, pelo contrário, moldadas dentro dos seus limites.

  • Processo de Criação

    Números de circo – um espetáculo para crianças tem a vantagem de ter sido criado no palco: o retorno do público à versão adulta, que circula desde 2007, dava apontamentos preciosos e colocava luz sobre ações que carregavam a potência da comunicação com as crianças. Considerando essas reações, inclusive de crianças, o grupo voltava, em sala de trabalho, às suas referências – Grock, Charlie Rivel, Os Irmãos Colombaioni, Charles Chaplin, Fellini, Buster Keaton, Oscarito… – e lhes dava um tratamento infantil. O resultado coloca as crianças em contato com os grandes clássicos, divertindo-as como nos divertem esses nossos padrinhos do cinema e do circo.

  • Ficha Técnica

    Direção

    Roberto Mallet

    Elenco

    Carolina Delduque

    Douglas Novais

    Gisele Nunes

    Julia Cavalcanti

    Marina Milito

    Cenografia

    Os Geraldos

    Figurinos

    Os Geraldos

    Maquiagem

    Os Geraldos

    Iluminação

    Douglas Novais e Roberto Mallet

    Técnico de Luz

    Henrique Vasquez

    Técnico de som

    Guilherme Bertin

    Arte gráfica

    Vanessa Cavalcanti e Awelé projetos e objetos

    Produção

    Os Geraldos

    Assessora de Comunicação

    Paula Mathenhauer Guerreiro

  • Necessidades Técnicas

    Espaço Cênico:

    • Cortina ao fundo, de 6m de altura x 5m de comprimento.
    • Três pares de pernas laterais, 6m de altura x 1,5m de comprimento.
    • Três ribaltas delimitando circunferência no proscênio.
    • Espaço cênico delimitado por cortina, pernas laterais e ribaltas: 6m x 6m.
    • Profundidade coxia fundo (atrás da cortina): 1,5m.

    Estrutura necessária:

    • Varas de cenário ou cabos para fixação de cortina e pernas laterais.
    • Tamanho ideal de palco: 7m de largura x 7,5m de profundidade.

    Observação: vide foto ilustrativa da iluminação e espaço cênico.

    Iluminação:

    • Geral Branca: 4 PC’s de 1000W.
    • Geral Âmbar: 4 PC’s de 1000W (referência de filtro: Supergel # 20).
    • Contra Branco: 4 PC’s de 1000W.
    • Contra Âmbar: 4 PC’s de 1000W (referência de filtro: Supergel # 20).
    • Afinação: circular, restrita ao espaço cênico delimitado por ribaltas, pernas e cortina de fundo, acompanhando circunferência indicada pelas ribaltas.
    • Azul fundo (central, atrás da cortina fundo): 2 PC’s 1000W (referência de filtro: Supergel # 56).
    • Afinação: cruzada, vazando por abertura central da cortina do fundo.
    • Verde diagonal frente: 2 Elipsos 1000W (referência de filtro: Supergel # 386).
    • Afinação: cruzada, incidindo sobre o centro do palco, espaço entre as pernas do meio.
    • Plateia: 1 Set Light 1000W.
    • Afinação: incidindo sobre a plateia.
    • Ribaltas (próprias): três ribaltas, cada uma com 8 lâmpadas 220V de 40W, divididas em 3 canais.
    • Afinação: em semi círculo, no proscênio.
    • Observação: vide foto ilustrativa da iluminação e espaço cênico.

    Som:

    • Aparelho de som com entrada para CD, 2 caixas de som e cabeamentos necessários.

    Necessidades diversas:

    • Ferro de passar disponível durante período de montagem.

    Tempo médio de montagem:

    Montagem de Cenário e afinação de luz: 3 horas

    Desmontagem: 40 minutos

    Ensaio Técnico: 50 minutos

    Observação: A afinação de luz deve ser feita após a montagem do cenário. A montagem de som ocorre simultaneamente à montagem do cenário.

    Carga/ cenário:

    Peso: 120 kg – Volume: 2,8m3

    Descrição da carga: 01 tonel de metal com 0,6m de diâmetro por 1m de altura desmontável em 5 partes, 01 mala cinza de 0,75m x 0,55m x 0,2m contendo rotundas de oxford vermelho, 03 ribaltas de madeira de 0,8m x 0,2m x 0,2m, estrutura de madeira desmontável de 2m x 0,9m x 1,15m, cadeira de madeira com espaldar de 0,4m x 0,4m x 1m, mesa de madeira desmontável de 1m x 1m x 0,4m.

  • Necessidades Técnicas para Espaço Aberto

    Observação: O início do espetáculo ocorre com os atores/personagens vendendo pipoca, refrigerante e pirulito para a plateia.

    Espaço Cênico: semi – arena de 6m X 6m, delimitada ao fundo por cortina e pernas laterais e à frente por 3 ribaltas dispostas em semi – círculo.

    O grupo possui:

    - Estrutura de tubo metálico para fixação das cortinas ao fundo e pernas laterais. Dimensões: 6m – comprimento; 2,5m – altura; 1m – profundidade.

    - Três ribaltas delimitando circunferência no proscênio.

    - Profundidade coxia fundo (atrás da cortina): 1,5m.

    - Espaço livre necessário para palco: 7m de largura x 7,5m de profundidade.

    Observação: vide foto ilustrativa da iluminação e espaço cênico a baixo.

    Iluminação: pode ser simplificada para adequação ao espaço e horário da apresentação. Os PC’s podem ser substituídos por outros equipamentos de mesma intensidade (1000W).

    - 18 PC’s de 1000W

    - 2 Elipsoidais de 1000W

    - 1 Mini Brut ou Set Ligth de 1000W

    - 4 tripés para refletores

    - Mesa de luz com 12 canais

    - Ribaltas (próprias): três ribaltas, cada uma com 8 lâmpadas 220V de 40W, divididas em 3 canais.

    Afinação: em semi círculo, no proscênio.

    - 1 tripé frontal:

    - 2 PC’s (1 canal)

    - 2 PC’s (1 canal, âmbar referência de filtro: Supergel # 20)

    - 2 tripés nas diagonais frontais:

    - 1 PC em cada tripé (1 canal)

    - 1 PC em cada tripé (1 canal, âmbar referência de filtro: Supergel # 20)

    - 1 PC em cada tripé (1 canal, azul referência de filtro: Supergel # 56).

    Afinação: circular, restrita ao espaço cênico delimitado por ribaltas, pernas e cortina de fundo, acompanhando circunferência indicada pelas ribaltas.

    - 1 Elipso em cada tripé (1 canal, verde referência de filtro: Supergel # 386).

    Afinação: cruzada, incidindo sobre o centro do palco, espaço entre as pernas do meio.

    - 1 Mini Brut ou Set Light

    Afinação: incidindo sobre a plateia.

    - 1 tripé atrás da cortina:

    - 2 PC’s (1 canal, gelatina azul referência de filtro: Supergel # 56)

    Afinação: cruzada, vazando por abertura central da cortina do fundo.

    Observação: vide foto ilustrativa da iluminação e espaço cênico abaixo.

    estrutura

     

    semi-circulo1

    Sonorização:

    - Aparelho de som com entrada para CD

    - 2 caixas de som e cabeamentos necessários

    - 3 microfones de lapela

    Necessidades diversas:

    - Ferro de passar disponível durante período de montagem.

    Tempo médio de montagem:

    Montagem de Cenário e afinação de luz: 2 horas

    Desmontagem: 40 minutos

    Ensaio Técnico: 50 minutos

    Observação: A afinação de luz deve ser feita após a montagem do cenário. A montagem de som ocorre simultaneamente à montagem do cenário.

    Carga/ cenário: Peso: 200 kg – Volume: 3,5m3

    Descrição da carga: 01 tonel de metal com 0,6m de diâmetro por 1m de altura desmontável em 5 partes, 01 mala cinza de 0,75m x 0,55m x 0,2m contendo rotundas de oxford vermelho, 03 ribaltas de madeira de 0,8m x 0,2m x 0,2m, estrutura de madeira desmontável de 2m x 0,9m x 1,15m, cadeira de madeira com espaldar de 0,4m x 0,4m x 1m, mesa de madeira desmontável de 1m x 1m x 0,4m, 34 tubos metálicos de 1m e 1,5m e 17 conexões de tubos metálicos.

     

  • Histórico Resumido

    2011: O espetáculo estreou uma versão infantil da já bastante premiada versão adulta Números. Logo em sua primeira apresentação, realizada na CPFL Cultura – Campinas, o espetáculo fez muito sucesso com os pequenos. Participou da Mostra Tem Cena, em Campinas, na qual foi apresentado em pleno dia das crianças no Centro de Convivência de Carlos Gomes – Campinas, no 34° FESTE de Pindamonhangaba recebeu o prêmio de melhor maquiagem. Realizou também apresentações no SESI Araraquara e no SESC de São José dos Campos. Depois disso o espetáculo deu uma pausa para que os atores voltassem para a sala de trabalho, com o intuito de aperfeiçoar as cenas que mais agradaram as crianças e adaptar as demais.

    2012: Em julho deste ano foi realizada a pré-estreia do espetáculo no SESI Vila Leopoldina e a estreia foi realizada no SESC Campinas, com sucesso de público e com uma grande aceitação, das crianças e de seus familiares.

    2013: Participou do festival Em Janeiro Teatro para Criança é o Maior Barato em São José do Rio Preto. Ainda no mesmo mês realizou uma temporada na FUNARTE, em São Paulo-SP, através do projeto Ocupação Coletivos Unicamp, organizado pela Cia. de Teatro Acidental. Ao longo do ano circulou por inúmeros SESIS do estado. Em julho integrou a programação do Projeto Histórias de Picadeiro contemplado pelo Prêmio Funarte Petrobrás Carequinha de Estímulo ao Circo com apresentações em Sorocaba e Rincão. O espetáculo foi ainda a São Miguel Arcanjo através da Sescoop.

  • Teaser

  • Arquivos para Download